O cais do nosso olhar

O cinema é um cais onde ancoramos deliberadamente o nosso olhar, e nos deixamos conduzir pela narrativa que as imagens nos contam. O Cais do Nosso Olhar é uma secção de Mar Film Festival, que visa mostrar e debater como é que o espaço marítimo da região de Aveiro tem sido utilizado como elemento criativo no domínio do cinema e, simultaneamente, dar a conhecer realizadores com obras sobre o tema.

Na edição de 2019, o cineasta escolhido é Manuel Paula Dias.

26 abril | sexta-feira | 14:30

Retrospetiva e conversa com Manuel Paula Dias, realizador

Com esta terceira edição, dedicada a Manuel Paula Dias (que estará presente no festival), completa-se o ciclo de dar a conhecer o chamado ‘grupo de Aveiro’ — Vasco Branco, Manuel Matos Barbosa e Manuel Paula Dias — realizadores amadores que, desde meados do século XX, utilizaram o espaço marítimo da região de Aveiro como referente cinematográfico.

Manuel de Oliveira Paula Dias é natural de Aveiro, mas foi no Porto, onde estudou, que começou a desenvolver o seu gosto por cinema, na altura apenas como espetador. A primeira câmara, de 8 milímetros, ainda de corda, foi adquirida por altura do nascimento da primeira filha, em 1961, e daí começou a crescer o interesse pela captação de imagens.

Entretanto, Manuel Paula Dias junta-se a outros cinéfilos aveirenses, como Vasco Branco, começando, na altura, a surgir clubes de cinema, em Aveiro, e festivais de cinema, em Oliveira de Azeméis e Ovar.

Juntamente com outros cineastas, Manuel Paula Dias, formou um núcleo de cinema, que em conjunto com amadores de Lisboa, Porto, Coimbra, Portimão, viria a constituir a base da Federação de Cinema Amador, com sede em Lisboa, e que em pouco tempo reuniu um núcleo de clubes de todo o pais, com cerca de 20 associados.

Paula-Dias

Manuel de Oliveira Paula Dias

FILMES A EXIBIR

Sal, dura sal

Manuel de Oliveira Paula Dias | 1977 | 20′

Vivinha da costa

Manuel de Oliveira Paula Dias | 1981 | 10’